coronavírus

    Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

        A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como previno o contágio?

Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.

Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.

Evite aglomerações.

Mantenha os ambientes bem ventilados.

Não compartilhe objetos pessoais.

SINTOMAS E DEFINIÇÕES OPERACIONAIS

Situação 1 - VIAJANTE: pessoa que apresente febre E pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E com histórico de viagem para país com transmissão sustentada OU área com transmissão local nos últimos 14 dias.

Situação 2 - CONTATO COM O PRÓXIMO: pessoa que apresente febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E histórico de contato com caso suspeito ou confirmado para COVID-19, nos últimos 14 dias

Situação 3 - CONTATO DOMICILIAR: pessoa que manteve contato domiciliar com caso confirmado por COVID-19 nos últimos 14 dias E que apresente febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia). Nesta situação é importante observar a presença de outros sinais e sintomas como: fadiga, mialgia/artralgia, dor de cabeça, calafrios, manchas vermelhas pelo corpo, gânglios linfáticos aumentados, diarreia, náusea, vômito, desidratação e inapetência 

Quando devo procurar o hospital?

            Os sintomas do Coronavirus podem ser facilmente confundidos com os de um resfriado comum. Por isso, se você sentir mal estar acompanhado de coriza, evite sair de casa e ter contato com pessoas próximas. A ida ao Hospital sem uma real necessidade colocará a saúde sua e das outras pessoas em risco. Se os sintomas persistirem e vierem acompanhados de tosse, febre e desconforto respiratório, é hora de procurar um Pronto Atendimento.

             Este momento requer cuidado. O hospital é o local onde trata-se as mais variadas doenças. Por isso, o procure quando os sintomas forem realmente os amplamente divulgados.

Fale com a gente:

Geral - (35) 3219-6850

Pronto Atendimento - (35) 3219-6868

Laboratório - (35) 3219-6873

Raio x - Ultrassom - Tomografia - (35) 3219-6864 

SERPRAM - (35) 3606-0781

  • Facebook Social Icon

Copyright©2018-2020, Hospital Varginha. Todos os direitos reservados.

Todos os textos, imagens, gráficos, animações, vídeos, músicas, sons e outros materiais são protegidos por direitos autorais e outros direitos de propriedade intelectual pertencentes ao Hospital Varginha, suas subsidiárias, afiliadas e licenciantes.

O ÚNICO HOSPITAL DE VARGINHA ACREDITADO ONA NÍVEL 1.

Produzido por Reginaldo Queiroz